BLOG COOPERFORTE
  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 26 de janeiro de 2015

Selfie: este autorretrato pode mostrar o que você não quer ver

Por: Cooperforte

economia_dia_cooperforte_educacao_financeira

Na era digital,  quase todo mundo sabe que selfie é um  autorretrato eletrônico instantâneo, geralmente feito com um smartphone e imediatamente publicado nas redes sociais. Os selfies, de certo modo e objetivamente, além de seu propósito de compartilhamento, não têm outra finalidade senão autopromoção. Revela para  o mundo como, onde e com quem está (ou estava naquele momento) o autofotografado, por alguns psicólogos até considerado narcisista.

Hoje é muito fácil produzir e veicular um selfie e por isto estas imagens viraram uma febre na internet, principalmente entre os jovens. O tempo todo e em todo lugar há alguém se autofotografando, nas mais diversas e inesperadas situações. Em casa, na escola, no trabalho, na rua, nos aviões, nos parques, nos supermercados e até onde ninguém admite ou imagina…

Mas tanta liberdade de expressão e tamanha espontaneidade não podem ser confundidas com descompromisso. Afinal, o autorretrato muitas vezes mostra também fatos, cenas, ambientes, objetos, rótulos, placas e pessoas que estão em volta, ou ao fundo, de quem se fotografou. E isto muitas vezes acaba em confusão. Muita gente já se envolveu ou presenciou discussões, brigas e até demissão e processos judiciais por causa de selfies tirados em academias de ginástica, praias, clubes, piscinas, locais de trabalho, acidentes, funerais e ambientes afins. Isto porque, mesmo estando em locais públicos, todas as pessoas têm direitos sobre a própria imagem, inclusive de reclamar diante de publicações ou veiculações desautorizadas, em qualquer meio.

Sabendo disto, antes de tirar ou publicar um selfie, considere todos os elementos visuais que, além de você, estão e compõem a imagem. Pessoas, objetos, situações, logomarcas… Use o bom senso e procure certificar-se de que ele não é ofensivo a alguém nem pode levar a interpretações diferentes daquelas a que você se propõe e pode justificar. O mal uso do selfie é tão constante que já se criou até “guias de conduta” para este autorretrato digital. Para saber mais, clique aqui e veja. algumas matérias sobre estes manuais.