BLOG COOPERFORTE
  • Atualidades

  • Novidades

Publicado em Atualidades, Novidades , dia 27 de maio de 2015

Celular na sala de aula: vilão ou aliado?

Por: Cooperforte

topo_celular

Principalmente nas grandes e médias cidades, mais do que lápis e caneta, quase sempre o que o aluno tem na mão é um telefone celular. Isso é tão comum que, apesar de ter seu uso proibido em sala de aula na maioria das escolas, já começa a haver um esforço para que este novo e preferido “amigo” do homem seja utilizado como instrumento didático-pedagógico, e não uma distração.

Como o celular é hoje, desde a infância, quase uma extensão do corpo e uma necessidade do homem urbano, nada mais oportuno e conveniente do que isto. Afinal, por suas múltiplas funcionalidades, entre elas a conexão à internet, o telefone possui muitos recursos que podem ser utilizados no processo educacional, nas mais diversas disciplinas, da matemática à arte.

Tanto é assim que os laboratórios de informática são raríssimamente frequentados pelos alunos. Mais de 70% das escolas visitadas pela revista Veja em 2015 não utilizam o espaço constantemente. A razão é muito simples: seus equipamentos se mostram bastante obsoletos se comparados à modernidade dos notebooks, tablets ou smartphones da garotada.

Além dos grandes serviços online de consulta – que são muito mais do que verdadeiras enciclopédias digitais – existem alguns portais criados tanto para orientar os alunos nos seus estudos, inclusive para preparação para vestibulares e exames como ENEM e OAB, quanto para facilitar aos professores a organização das aulas.