BLOG COOPERFORTE
  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 1 de julho de 2015

Para chegar ao sucesso, deve-se acertar no português!

Por: Cooperforte

topo_ptbr

Falem bem ou falem mal, mas falem de mim.  Esta frase expressa um pensamento bastante comum no meio publicitário e significa que estar em evidência aumenta a visibilidade de uma marca e pode ser fator de sucesso. Uma frase semelhante bem poderia ser criada e utilizada como recomendação para todos os brasileiros: “Falem bem ou falem mal, mas falem corretamente”!

Escrever e falar a língua portuguesa segundo as regras ortográficas e gramaticais traz muitas vantagens, entre elas a facilidade de transmitir, com precisão, as ideias que desejamos e também o reconhecimento de que se é conhece bem aquela que, antigamente, era chamada de “língua pátria”.

Principalmente no meio profissional e em ambientes formais, o uso correto do português é imprescindível, tanto por convenção e elegância linguística, quanto para evitar comunicação dúbia e imprecisa, capaz de prejudicar o entendimento das mensagens. Mesmo na informalidade da família e dos amigos, o ideal é que a língua nacional seja falada corretamente, porém lembrando que isto não significa usar palavras, expressões e conjugações difíceis e complicadas — isso gera artificialidade, formalidade e pedantismo. Por isso, neste caso também vale o recado “menos é mais”, ou seja, simplicidade acima de tudo.

Não há dúvida de que as redes sociais, com sua absoluta descontração, trouxeram uma linguagem escrita codificada e nada ortodoxa, que encurta palavras, dispensa artigos e vogais e pesa a mão com símbolos criados com sinais gráficos (acentos, barras, parênteses e asteriscos, entre outros) e emojis. Mas esta linguagem, mesmo na internet, deve ficar restrita aos perfis pessoais informais, pois fora deste contexto ela não tem qualquer reconhecimento.

Sendo assim, acertar no trato com a língua portuguesa é fator de sucesso e, para quem quer aprimorar seu português, nada melhor do que ler bons autores e ouvir entrevistas, depoimentos e comentários de pessoas que se expressam com desenvoltura e fluência, sem agredir o falar de nossa terra.

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 24 de junho de 2015

No mundo digital, em que você concentra sua atenção?

Por: Cooperforte

topo_apps

O meio digital a todo instante invade nossa mente com coisas novas: notícias, fotos, declarações, comentários, vídeos, opiniões, depoimentos, perguntas, músicas, dúvidas, provocações. E tudo isto, se não for muito bem administrado, consome tempo, esforço, “espaço de memória” em nosso cérebro e, principalmente, concentração.

Entretanto, este mesmo mundo digital coloca à disposição dos internautas alguns aplicativos e sites que são muito úteis para quem quer organizar suas tarefas, rotinas e compromissos — a vida pessoal, financeira e profissional. Conheça os exemplos abaixo e escolha aquele que pode ser a ajuda que você anda precisando…

➨ EvernoteMuito útil para se fazer anotações rápidas, gravar vídeos e áudios, fazer fotos e desenhar. Possibilita boa interface entre celulares, tablets e computadores, permitindo que  as anotações estejam sempre disponíveis, independentemente de onde se esteja.

➨ Wunderlist- Sua grande vantagem é facilitar a elaboração de listas, muito úteis tanto no planejamento quanto na execução das tarefas.

➨ Cold Turkey Self Control. Estes programas bloqueiam temporariamente o acesso a sites escolhidos, ajudando a evitar dispersão, sobretudo motivada pelo uso exagerado das redes sociais.

➨ Calendários – Agendas do Google, Timeful, sincronizadas com o e-mail e compatíveis com celular, tablet e computador, auxiliam bastante no planejamento de atividades e na organização do dia a dia.

➨ RescueTime – Este recurso mede o tempo gasto com cada aplicativo ou programa, permitindo ao usuário visualizar como anda seu desempenho para cumprir as metas diárias e atingir os objetivos programados.

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 18 de junho de 2015

Multitarefas: muitas vezes, quem tudo quer, tudo perde!

Por: Cooperforte

topo_multitask

Em um mundo veloz como o de hoje, em que o dia parece pequeno, graças ao volume de coisas que precisam ser feitas – cada vez com mais urgência e em menor prazo -, ser multitarefa é mais do que um sonho: é uma exigência para muita gente.

E para ser multitarefa é fundamental estar permanentemente “hiperconectado”, ou seja, acompanhar em tempo real tudo o que acontece. Dar respostas imediatas a telefonemas, e-mails, mensagens pelo Whatsapp, ufa! No fim do dia o multitarefa está esgotado. E nem sempre com o dever cumprido…

O certo é que isto tem um preço, que não é pequeno. Pode afetar a saúde e o bem-estar, influenciar na disponibilidade e na qualidade dos relacionamentos, expor a pessoa a riscos os mais diversos e até comprometer sua produtividade no trabalho e nos estudos. Não é sem motivo que a sabedoria dos mais vividos recomenda fazer uma coisa de cada vez.

Muitas vezes, atender prontamente a todas as demandas do mundo atual fica mais fácil quando se identifica e estabelece uma ordem de prioridade, importância e urgência. Ou seja, quando se define a sequência lógica das atividades que precisam ser executadas, levando em conta, inclusive, a interdependência que pode haver entre elas. Com esta forma de organização, é possível ter sempre o controle da situação e estabelecer alternativas que entram em vigor em caso de imprevistos e emergências e diminuam o impacto negativo provocado por fatores externos.

Além da organização das tarefas, atividades e rotinas, psicólogos recomendam que se reserve sempre um tempo para si próprio. Para fazer o que nos dá prazer, relaxa, recupera nosso ânimo e reabastece nossas energias. Seja um hobby, uma ação voluntária ou, simplesmente, a reflexão e o ócio.

Na maioria das vezes, na ânsia de fazer tudo,  o multitarefa acaba esquecendo de si mesmo…

Para saber mais sobre este assunto, leia também:

Quanto custa ser multitarefa?

 Ser multitarefa ajuda a ganhar tempo?

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 8 de junho de 2015

Alimentos para o corpo e para o entusiasmo

Por: Cooperforte

topo_comida

Mesmo com todo o desenvolvimento tecnológico e com a automação que tornou mais fácil e mais rápido desenvolver muitas tarefas, o ritmo da vida atual é bastante intenso.

A todo instante as pessoas recebem infinitas informações, mensagens, demandas, comandos e apelos que concorrem com as múltiplas obrigações e atividades que precisam realizar, quase simultaneamente, para que não falte nada na vida pessoal nem na profissional. E estas exigências, sem dúvida, são fatores de estresse. Mas existem alguns recursos que auxiliam na redução do estresse e um deles, por exemplo, é controlar o volume de informações eletrônicas que recebe, processa e compartilha, pois estas mensagens roubam atenção e consumem o tempo tanto de quem envia quanto de quem recebe.

Outro fator muito importante no combate ao “mal de nosso tempo” é a alimentação. Juntamente com o controle do peso,  repousos no tempo necessário e exercícios físicos, a adequação e a disciplina alimentar tem grande efeito sobre a saúde, diminuindo o desgaste físico e mental e contribuindo para o bem-estar. No caso do estresse, destacam-se os seguintes alimentos:

Leguminosas – grãos como feijão, ervilha e lentilha, ricos no aminoácido triptofano, ajudam na formação de serotonina, que induz à sensação de felicidade.

Cereais – arroz e aveia são ricos em vitamina B, proteína magra, vitaminas e potássio – um complexo muito útil para inibir o estresse.

Laticínios – leite, queijos e iogurtes  também devem fazer parte da alimentação saudável, pela quantidade de proteínas, ácidos graxos e sais minerais que possuem.

Frutas – especialmente a banana, que é muito rica em potássio, proteínas, vitaminas e triptofano, também existente nas leguminosas.

Ovos – na quantidade adequada, também devem ser consumidos por quem quer se livrar do estresse, pois são ricos em proteínas, vitaminas e aminoácidos, que estimulam a criação de serotonina.

Mas para que o bem-estar comece logo no momento da alimentação, é importante que ela seja feita calmamente em um ambiente limpo, organizado, com iluminação agradável e sem poluição sonora nem atmosférica. Se a isto tudo for possível aliar uma bela paisagem, então o resultado será melhor ainda…

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 3 de junho de 2015

Economize água. Não a limpeza e o conforto

Por: Cooperforte

topo_agua

Como cada dia mais a água vale ouro, economizar este líquido precioso faz bem. Bem para o bolso, para a sociedade e para o planeta. E isto não é difícil. Com pequenas atitudes cotidianas chega-se a grandes resultados.

Neste sentido, o primeiro passo é conferir o funcionamento das torneiras e das válvulas de descarga hidráulica. Se torneiras que pingam permanentemente chegam a desperdiçar até 46 litros de água por dia, imagine uma válvula que apresenta vazamento.

Observar sinais de infiltração, conferir se os canos estão em bom estado e se as conexões possuem vedação ideal é outro cuidado importante. Quando não é este o estado encontrado, há casos de vazamentos que chegam a quase cem litros por mês.

Em casas com piscina, mantê-la coberta pode evitar 90% das perdas por evaporação, além de conservar a limpeza.

Mas acima de tudo é preciso mudar o comportamento em relação à água. Tomar banhos mais curtos, fechar a torneira ao ensaboar o corpo e a louça, não lavar calçadas e carros com mangueiras. É economia certa, para o bolso e para o meio ambiente!

Veja no Manual de Etiqueta 2015 do Planeta Sustentável mais algumas dicas sobre como economizar água sem diminuir a higiene, a limpeza e o conforto.

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 1 de junho de 2015

Tem lazer que não custa nada. E vale muito…

Por: Cooperforte

topo_lazergratis

Não é porque as contas do mês estão comprometendo quase todo o orçamento, e até estrangulando o bolso, que a diversão e o lazer precisam ficar fora da vida. Afinal, existem muitas formas de se divertir muito e gastar pouco, inclusive ganhando saúde, experiência e conhecimento.

Fazer exercícios físicos ao ar livre, por exemplo. Caminhar, correr, andar de bicicleta ou praticar algum esporte com os amigos gera bem-estar e satisfação e não custa nada. Isto acontece também com quem anda livremente pelas ruas prestando atenção na paisagem urbana: os grafites, cartazes, detalhes da arquitetura, objetos nas janelas não só distraem como  ajudam a conhecer e entender o modo de vida das pessoas e a cultura urbana da cidade. Isto, pode ser tema para boas conversas, que também são formas gratuitas de lazer.

Dedicar-se ao que gosta, desenvolvendo ou aprimorando habilidades, é mais um item importante desta lista. Sendo assim, que tal dedicar-se a algum hobbie, seja ele música, jardinagem, reciclagem, gastronomia, para ocupar, prazerosamente, suas horas vagas?

Aumentar o círculo de relacionamentos e visitar periodicamente os amigos são outras formas de diversão, principalmente quando isto envolve alguma atividade de lazer. Pode ser assistir jogos de futebol na televisão, discutir uma notícia que está em pauta, realizar em conjunto alguma atividade de interesse comum, como pesquisar e aprofundar-se sobre algum tema específico. Saúde, tecnologia, literatura, cinema ou, simplesmente, ócio.

Principalmente nas médias e grandes cidades, não é preciso fazer grande esforço para descobrir que existem programações esportivas e culturais gratuitas, entre elas shows, feiras, concertos, quermesses, visitação a museus e muito mais.

Mas uma coisa, antes de mais nada e acima de tudo, é fundamental: que a pessoa esteja internamente mobilizada para relacionar-se com o mundo, numa forma espontânea de intercâmbio que enriqueça seus conhecimentos e suas experiências. Entretanto, como toda regra tem exceção, não são raros os casos em que é o lazer que promove transformações, abrindo para a alma a janela do mundo…

 

  • Atualidades

  • Novidades

Publicado em Atualidades, Novidades , dia 27 de maio de 2015

Celular na sala de aula: vilão ou aliado?

Por: Cooperforte

topo_celular

Principalmente nas grandes e médias cidades, mais do que lápis e caneta, quase sempre o que o aluno tem na mão é um telefone celular. Isso é tão comum que, apesar de ter seu uso proibido em sala de aula na maioria das escolas, já começa a haver um esforço para que este novo e preferido “amigo” do homem seja utilizado como instrumento didático-pedagógico, e não uma distração.

Como o celular é hoje, desde a infância, quase uma extensão do corpo e uma necessidade do homem urbano, nada mais oportuno e conveniente do que isto. Afinal, por suas múltiplas funcionalidades, entre elas a conexão à internet, o telefone possui muitos recursos que podem ser utilizados no processo educacional, nas mais diversas disciplinas, da matemática à arte.

Tanto é assim que os laboratórios de informática são raríssimamente frequentados pelos alunos. Mais de 70% das escolas visitadas pela revista Veja em 2015 não utilizam o espaço constantemente. A razão é muito simples: seus equipamentos se mostram bastante obsoletos se comparados à modernidade dos notebooks, tablets ou smartphones da garotada.

Além dos grandes serviços online de consulta – que são muito mais do que verdadeiras enciclopédias digitais – existem alguns portais criados tanto para orientar os alunos nos seus estudos, inclusive para preparação para vestibulares e exames como ENEM e OAB, quanto para facilitar aos professores a organização das aulas.